Quinta-feira, 30 de Agosto de 2012

Belezas e desbelezas de Portugal

Em vez de irmos para Timor gastar dinheiro e dizer disparates como foi o caso de Relvas, que armado em grande literário afirmou "A língua portuguesa é como o petróleo que une as nossas nações". Será que o ignorante queria dizer que a língua portuguesa era a cola que une as duas nações? O referência ao petróleo veio do cheiro de algum negócio que lhe bailava na cabeça. Além de inculto já começa a revelar sintomas de Alzheimer.

Mais valia que o senhor tivesse ido a Setúbal comer um bom peixinho ou um choco frito, ver as pinturas num edifício antigo e a vista da Arrábida para a península de Troia. Gastava menos dinheiro e divertia-se mais.

Nem em Timor o senhor se livrou de ver um cartaz a dizer "Vai estudar ó Relvas".

 Azar o dele.

publicado por eu-calipto às 23:39

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 25 de Agosto de 2012

Ouvir música para esquecer as avarias dos estarolas

No Verão não vale a pena ouvir notícias, nem comentadores.

Arriscamos a nossa sanidade mental ao escutar as opiniões de Antónios Borges, Motas Soares, , Assunções Cristas, José Luís Arnaut e jornaleiros como Mários Crespos.

Então este governo era dos mas pequenos de sempre para poupar dinheiro. Mas depois arranjam-se um Ministros externos que não têm de se apresentar no parlamento com a obrigação de responder aos deputados eleitos e a ganhar bastante mais do que um Ministro “normal”. Exemplo? – António Mendo de Castel-Branco do Amaral Osório Borges, Paulo Teixeira Pinto e outros que nem sabemos o nome. (Castel-Branco ???).

Então, para esquecer esta pocilguice oiçamos um pouco de música.

Pouca gente conhece o nome de talentosos artistas, como esta Pink Martini.

Tempo Perdido / Lágrimas

http://www.youtube.com/watch?v=KSm4kLyBa3I

 

publicado por eu-calipto às 23:43

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 21 de Agosto de 2012

Marcelo en-Cavacado

Vejam bem, várias vezes se necessário. Como se pode mentir com convição. Ponto alto quando é chamado à atenção da mentira. Faz lembrar a história antiga do lobinho: - "Se não foi ele que fez mal a alguém foi a mãe dele". Mata-se o lobinho quer ele seja bom quer seja mau. (Se alguma coisa aparece mal feita - só pode ter sido Sócrates).

Isto é um documento histórico.
Muito prejudicial para quem quer ser presidente da República.
Muito infeliz para quem investiu anos com tempo de antena gratuíto (aliás até recebe dinheiro pelo tempo de antena).
Felizmente há uma frase da cultura popular que nunca falha:
- Pode-se enganar uma pessoa toda a vida, algumas pessoas durante algum tempo, mas não se consegue enganar toda a gente durante todo o tempo.
Aqui está. O tempo vai passando. Está a chegar a altura de alguns começarem a perceber quem têm pela frente.
publicado por eu-calipto às 20:47

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 20 de Agosto de 2012

Marcelo cada vez com menos chama

Marcelo Rebelo de Sousa é um dos maiores "malabaristas" da política portuguesa.

Tem tanto de génio como de aldrabão venenoso.

Um blog dizia: "... ai dele se um dia morder a língua, morrerá fulminado pelo veneno que lhe corre nas veias".

Eu se fosse amigo dele fugia a sete pés. Quem tiver amigos daqueles não precisa de ter inimigos.

Ontem no sermão semanal na TVI estusiasmou-se tanto a criticar a má governação de Sócrates que já tinha uma história completa como Sócrates nos tinha tirado metade do subsídio de Natal de 2011. Blá, blá, blá ..., e mais isto e mais aquilo ...

Mas Judite de Sousa, ou é um pouco mais espertinha ou recebeu um alerta pelo auricular, lá contradice Marcelo com bastante convição, e ele, a muito custo inicialmente, lá admitiu o erro.

Afinal o tal subsídio tinha sido tirado por Passos Coelho e não por Sócrates.

Lá se foi toda a teoria Marcelista por água abaixo. Uma história tão bonita.

Mas nada como ir confirmar.

Afinal Marcelo tem toda a razão. Vejam o que está publicado no Diário da República.

http://dre.pt/pdf1sdip/2011/09/17200/0435804358.pdf

Deve ter sido quando Passos foi passar férias e Sócrates o ficou a substituir. Só pode.

Nota: Não se pode acreditar em tudo o que vem nos jornais, nem no que é dito nos telejornais, nem no que aparece nos blogs, muito menos no que Marcelo diz.

publicado por eu-calipto às 10:15

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2012

Carlos Barbosa - ACP - 6 milhões

Alguém explique como é que Carlos Barbosa tinha em casa bens no valor de 6 milhões de Euros?

Armas, relógios, etc.?

O mesmo Carlos Barbosa que usa o dinheiro do ACP para fazer processos contra o anterior governo do PS.

ACP processa governo de Sócrates por gestão danosa nas SCUT

Publicado em 2012-05-05

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=2477986

 

Este senhor fez uma campanha política descarada com dinheiro dos outros (o ACP não é uma empresa privada dele).
Agora vem chorar para os jornais dos amigos. Quando não se aparece nas notícias por fazer o bem, tenta-se aparecer pelas más razões.
Aviso: Não se pode acreditar neste homem.
Das duas uma:
a) Ou tinha este valor em casa e tem de explicar como o conseguiu, se as armas estavam legalizadas, etc..
b) Outra possibilidade "teórica" é que o valor não seja nada parecido com 6 milhões e agora vá pedir aos seguros o dinheirinho.
Se for a possibilidade b) é o truque mais velho da humanidade (negócio anterior à invenção da prostituição). 
Não foi o partido que este senhor gosta e que defendo com dinheiro de outros que aprovou uma lei que inverte o ónus da prova? Não é preciso provar que este senhor "roubou" o dinheiro para comprar os relógios e as armas. Ele é que tem de provar de onde veio o dinheiro.
Investigue-se. Participe-se ao Ministério Público.
publicado por eu-calipto às 12:25

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 11 de Agosto de 2012

Haja Alexandres e Cândidas

Desapareceram os documentos do negócio dos submarinos

http://www.jn.pt/paginainicial/interior.aspx?content_id=2715055

 

"Grande parte da documentação dos submarinos desapareceu do Ministério da Defesa. Sumiram, em particular, os registos das posições que a antiga equipa ministerial de Paulo Portas assumiu na negociação em 2004, quando Durão Barroso era primeiro-ministro e Paulo Portas ministro de Estado e da Defesa Nacional".

A minha sugestão é que procurem entre as 61 000 fotocópias que Paulo Portas tirou de documentos do Ministério da Defesa quando deixou de ser Ministro.

Pode ser que tenham sido levados por engano junto com as fotocópias.

Marcelo Rebelo de Sousa, insuspeito de “perseguir” Paulo Portas, líder do partido da coligação que ele defende com unhas e dentes, já deu a sua opinião e desta vez bem acertada. Se os documentos desapareceram não venha o ministério público chorar lágrimas de crocodilo, porque na realidade só a eles compete dar andamento ao assunto. Se os documentos fazem falta então procure-se a responsabilidade de quem os devia ter controlado. Abra-se um processo de averiguações, porque deixar desaparecer ou “fazer” desaparecer documentos de negócios do Estado (mais de 650 milhões de Euros) também é crime.

Peçam ao Alexandre para ir a casa de Portas verificar.

Mas, pelos vistos,  não perguntaram

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2012/08/11/desaparecimento-de-documentos-relativos-a-compra-de-submarinos-leva-ao-arquivamento-de-um-dos-processos

Para quem não quiser ter o trabalho de ler pode ouvir notícia falada

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=578484&tm=8&layout=122&visual=61

Nota: Se o link não funcionar copie para barra de endereços.

Alexandres e Cândidas porque são os justiceiros de serviço.

publicado por eu-calipto às 19:13

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 10 de Agosto de 2012

A asneira é livre

“Novas barragens gastam mais energia do que a que produzem”

As asneiras de José Luís Pinto de Sá e do ambientalista da Univ Nova Joanaz de Melo, com um jornalista viciado que não deixa as pessoas explicarem os assuntos Carlos Enes da TVI estão aqui

http://www.tvi24.iol.pt/programa/3008/54

Alguns comentários e quem é Joanaz:

http://ecotretas.blogspot.pt/2012/02/os-equivocos-de-joanaz-de-melo.html

Admirei-me inicialmente por ninguém vir a público esclarecer os erros propagados nos programas referidos, mas após consulta de documentos e outras informações percebi o que se passa. É que Joanaz e Pinto de Sá, simplesmente são maluquinhos e nenhum especialista a sério lhes presta sequer atenção.

Então vou responder eu que não sou especialista, sou apenas um eu-calipto pensante. Podem discordar à vontade, mas pensem primeiro.

É uma evidência que bombear água para dentro da barragem e depois a returbinar se obtém menos energia do que a que se consumiu, porque há perdas de rendimento tanto ao bombear como ao turbinar. O problema a resolver é o do armazenamento de energia. Não há formas de armazenar energia sem perdas. Se colocar energia numa bateria obtém-se no consumo da bateria menos energia do que a que foi lá colocada. É igual à barragem.

O grande problema a resolver é que a certas horas há energia renovável em excesso. Em vez de a desperdiçar é preferível usá-la para bombear água para dentro da barragem, sobretudo se a energia renovável for mais barata, ou como é o caso se se pagar quer ela seja consumida ou não. Neste caso a energia armazenada é de borla, porque se não for aproveitada é desperdiçada no momento da sua produção. Tanto custa usá-la como deitá-la fora. Quando a água é returbinada obtém-se uma parte da energia que se teria desperdiçado sem qualquer utilização.

As tais barragens são barragens reversíveis, cuja função é de servir de ponto de armazenamento de energia para regular a produção de energia dos geradores eólicos. Ou seja, são uma espécie de bateria que armazena a energia produzida pelos geradores eólicos quando esta é produzida em excesso, e permite depois devolver a energia à rede eléctrica quando a produção eólica tiver quebras e/ou houver picos de procura na rede eléctrica. São justamente essas barragens que viabilizam todas as centrais eólicas espalhadas pelo país, e permite viabilizar fontes de energia alternativas, como a energia eólica mas também solar, em vez de recorrer a gás ou carvão para regularizar a potência na rede.

Sabendo isto, deve ser claro que isso de "gastar mais electricidade do que produz" é uma simplificação demasiado grosseira e enganadora.

Negar esta evidência, ou é imbecilidade e burrice, ou é submissão a interesses escondidos.

Negar a importância do armazenamento da energia é o mesmo que negar o interesse das baterias e das pilhas.

Todos os aparelhos electrónicos que usamos no dia-a-dia consomem mais energia no carregamento das suas baterias do que a energia que fornecem posteriormente. Mas a questão é a mesma das barragens. Fornecem energia quando nós pretendemos. No caso de um telemóvel, permite-nos falar quando estamos fora de casa e sem ligação a uma rede eléctrica. No caso de uma bateria de um automóvel permite arrancar o automóvel depois de uma noite parado, sem necessidade da dar à manivela nem ligar um transformador à corrente. Numa lanterna permite-nos ter luz sem ter de acender uma vela.

Não é eficiente mas é útil, muito útil. Não há alternativa por enquanto.

Da mesma forma, os acumuladores de energia vão permitir no futuro a mobilidade eléctrica sem poluição e a baixo custo.

Os senhores Joanaz e Pinto de Sá denunciam as barragens mas não dão soluções alternativas. Pela lógica deles a solução seria não consumir electricidade (voltar às cabanas iluminadas à vela  (Joanaz) ou então usar geradores portáteis a gasolina (como os das casa de churros e farturas nas feiras) - (solução à Pinto de Sá).

Uma coisa é a energia eólica ser paga a preços exagerados, outra coisa é não perceber a necessidade de energias renováveis para um país sem petróleo como Portugal, mas com muito vento.

publicado por eu-calipto às 22:57

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 7 de Agosto de 2012

Correio qq. coisa

Nota: Fazer um jornal de má qualidade, mas que muita gente gosta e vende bem é fácil, fácil, fácil!

publicado por eu-calipto às 20:40

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 6 de Agosto de 2012

Fundações & Afundações

O governo mandou, e bem, fazer um estudo sobre as Fundações. Saber quais são e onde estão, para que servem e quanto gastam. Os comentadores do costume começaram logo a ler o relatório (passado por baixo da mesa para a comunicação social amiga) de forma parcial e enviezada. Foi logo dada a notícia do escândalo das fundações que tivessem algo a ver com o partido Socialista, em particular a Fundação Mário Soares e a Fundação Magalhães. Muita gente se incomodou logo com os gastos destas duas fundações sem sequer se informarem sobre o que têm feito. Por exemplo, a Fundação Magalhães foi a que recebeu mais dinheiro, mas o serviço que prestou foi a informatização das escolas desde os níveis mais baixos de scolaridade, preparando os jovens para no futuro preencherem o IRS, o IRC, a contribuição autárquica IMI, o imposto automóvel IUC, a renovação do cartão de cidadão, etc., etc., através da internet, vindo o Estado a poupar no futuro próximo milhões de Euros em impressos, em número de funcionários, em horas de trabalho e em papel. Seremos nós a fazer o trabalho que caberia ao Estado.

A Fundação Mário Soares tenho algumas dúvidas, mas sei que tem servido de centro de difusão de conhecimentos e debates, pelo menos tem um cheirinho a cultura e melhoria da sociedade.

Mas há outras fundações de que poucos falam, a Fundação PSD Madeira, que serve para as festas do partido e a notícia mais recente, a Fundação PortoGaia para o Desenvolvimento Desportivo.

Leram bem?

Fundação PortoGaia para o Desenvolvimento Desportivo

http://www.cm-gaia.pt/gaia/portal/user/anon/page/_CMG_0000.psml?categoryOID=E8818080801482GC&contentid=8C81801580CO&nl=pt

Esta fundação, fortemente apoiada por Filipe Menezes, o pai do deputado Luizinho Chafurda, gastou mais de 15 milhões de Euros, dos quais mais de 4,5 milhões dinheiro directo do Estado (nosso bolso portanto), para construir o Centro de Estágios do Futebol Clube do Porto, pagando este rico clube uma renda de 500 Euros mensais, um pouco mais elevada do que um estudante paga por um quarto alugado. – Bons negócios heim?

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/politica/menezes-acaba-com-portogaia

Uns pontapés na bola e ninguém chora o dinheiro. Esperemos pelas extinções para saber quem são os amigos.

publicado por eu-calipto às 19:36

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 4 de Agosto de 2012

Diz o nu ao roto: – estou a ver o teu cê-u

Versão atualizada do provérbio popular “Diz o roto ao nu: porque não te vestes tu?”, que significa que é mais fácil vermos os defeitos dos outros do que os nossos próprios defeitos.

O bancos (pela voz de Fernando Ulrich) queixam-se do governo por obter empréstimos da Troika a uma taxa mais baixa e emprestar aos bancos a uma taxa mais elevada, "Estão muito altos os juros que o Estado nos cobra pelos CoCo's".

http://mobile.economico.pt/noticias/2011-foi-o-ano-horribilis-para-o-bpi-e-para-o-pais_149166.html

Mas os senhores bancos fizeram isso desde há séculos. Obtinham dinheiro dos capitalistas e depois emprestavam aos seus clientes a taxas muito mais elevadas. Seja, davam juros mais baixos a quem depositava do que os juros que cobravam a quem eles emprestavam. Sendo empresas que não produzem batatas nem automóveis eram das mais rentáveis até ao rebentar da crise financeira de 2008. A justificação sempre foi que eles tinham credibilidade. O lucro deles era o pagamento da garantia e da confiança.

Sr. Ulrich, abra os olhos, ou não tente enganar os portugueses. O dinheiro da Troika vem do estrangeiro (FMI e BCE). Eles acreditam mais num país do que nos banqueiros. A diferença do juro é o preço da confiança.

Em linguagem popular isto chama-se agiotagem, mas é o que muita gente tomada com séria faz há muito tempo.

A religião muçulmana propibe os juros. Se alguém empresta recebe apenas o mesmo valor que emprestou.

E eles é que são os atrasados não é?

Para os Srs. Ulricos deixo a sugestão de um novo provérbio: - "Não me façam o mal que eu gosto de fazer aos outros".

publicado por eu-calipto às 18:45

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Agosto de 2012

Salvar a floresta

A floresta e o voluntariado!

Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente

http://www.anefa.pt/pdf/revista_15.pdf

(Leiam editorial)

"A ANEFA ofereceu ao Sr. Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural o livro “ O Homem que plantava árvores” de Jean Giono, numa atitude simbólica de chamar a atenção para a necessidade urgente de se plantar floresta."

Em resposta a este desafio a Srª. Ministra da Agricultura, muito entusiasmada com o tema e falando a sério, apelou para cada português plantar uma árvore, em ação de voluntariado, como se esse acto resolvesse os problemas da floresta nacional ou da falta dela.

Depois da eliminação do uso da gravata para poupar energia ..., só faltava mais esta :-{

Aceitam-se sugestões para ajudar a Sra. Ministra a resolver os problemas de Portugal. Por exemplo, desligar as televisões quando aparecer a cara dela, do Relvas ou de Passos Coelho, para pouparmos ainda mais energia.

Se os problemas fossem tão fáceis de resolver com os imbecis imaginam, o Mundo seria o Paraíso.

 

Nota: Se houver 150 milhões de árvores na Amazónia, então foram os brasileiros que plantaram. Só pode.

Mas pergunte-se à ingnorante incompetente quem dá as árvores, que espécies aconselha, onde fica o terreno onde seja permitido plantar, quem vai regar e cuidar nos primeiros tempos.

Na Amazónia, ou cada um planta em sua casa um bonsaizinho?

Faz-me lembrar um ministro angolano que dizia que as árvores com 2 metros de diâmetro de Cabinda davam para fabricar palitos - muitos muitos palitos :-{

publicado por eu-calipto às 22:36

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

pesquisar

 

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Moção de "auto-censura" p...

Rei Ghob

Confirmação da injustiça ...

Os intocáveis

Roubados e ainda temos de...

Não sejam mal agradecidos...

Rir é o melhor remédio, s...

Miguelito Relvado - O Ban...

Carlos Alex. Quem é ele? ...

Aeroporto no Montijo - er...

Mário Soares - o bochecha...

Bom Ano Novo

Atentados. Pode haver ou ...

Prisão, prisão, presão, p...

Justiça inútil ou "injust...

Polémica - Nova investiga...

Antoniodominguesmania - o...

Pedro Dias, Pedro Dias, P...

A lata deste gajo é imbat...

Marques - Mentes

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

favorito

Venha o diabo e escolha.

links recomendados

Tempo

blogs SAPO