Segunda-feira, 6 de Julho de 2015

Ultimato aos políticos incompetentes - lavem-se

O que Fernando Pessoa pensava da generalidade dos políticos matém-se verdadeiro e quase igual, 98 anos depois de ele o ter escrito no Ultimatum

"... a todos os chefes de estado incompetentes ao léu! Senão querem sair! Que fiquem e lavem-se! ..."

Ultimatum_Alvaro de Campos.png

 Aqui um resumo declamado por Maria Betânia

 

O texto mais completo:

Mandado de Despejo aos Mandarins do Mundo

"Fora tu, reles esnobe plebeu! Fora tu imperialista das sucatas, charlatão da sinceridade, banalidade em caracteres gregos, sopa salgada fria. Fora com tudo isso! Fora! Que fazes tu na celebridade?! Quem és tu? Tu da juba socialista e tu qualquer outro. Todos os outros! Lixo, cisco, choldra provinciana, safardanagem intelectual, incompetentes, barris de lixo virados para baixo à porta da insuficiência da contemporaneidade! Tirem isso tudo da minha frente! Tudo daqui para fora!

Ultimatum a eles todos, e a todos os outros que sejam como eles! Todos! Falência geral de tudo por causa de todos! Falência geral de todos por causa de tudo! Falência dos povos e dos destinos. Falência total! Desfile das nações para o meu desprezo! Passai gigantes de formigueiro. Passai mistos que só cantais a debilidade. Passai bolor do novo. Passai a esquerda do meu desdenho. Passai e não volteis! Párias na ambição de parecer grande! Passai finas sensibilidades, montes de tijolos com pretensões a casa, inútil luxo passai! Van grandeza ao alcance de todos, megalomania triunfante.

Vos que confundis o humano com o popular, que confundis tudo! Chocalhos incompletos, maravalhas passai! Passai tradicionalistas alto convencidos, anarquistas deveras sinceros, socialistas a invocar as suas qualidades de trabalhadores para quererem deixar de trabalhar! Vem tu finalmente ao meu ascomo! Roça-te finalmente sobre a sola do meu desdenho! Granfinalha dos parvos, impotência a fazer barulho!

Quem acredita neles? Descasquetem o rebanho inteiro! Mandem tudo isso para casa descascar batatas simbólicas. O mundo tem sede de que se crie, tem fome de futuro!

Tu Estados Unidos da América síntese bastardia da baixa Europa, alho da açorda transatlântica, pronúncia nasal do modernismo inestético! E tu, Portugal-centavos, resto da Monarquia a apodrecer República, extrema-unção-enxovalhada da desgraça, colaboração artificial na guerra com vergonhas naturais em África! E tu Brasil, República irmã, blague de Pedro Álvares Cabral que nem te queria te descobrir! Ponham-me um pano por cima de tudo isso! Fechem-me tudo isso a chave e deitem a chave fora!

Ultimatum a todos os chefes de estado incompetentes ao léu! Senão querem sair! Que fiquem e lavem-se! Despem-se de toda hipocrisia, ignorância de toda ganância luxuosa e falida. Mistura de sub-raças, batentes de portas dos grandes palácios com cheiro de chiqueiro! Tu, miseráveis intelectualistas a praticar política de esquina, com qualidades guerreiras enterradas pelo mundo afora! Ah! Onde estão os antigos, as forças, os homens, os guias, os guardas? Vão aos cemitérios, que hoje são só nomes nas lápides! Agora a filosofia é o ter morrido! Agora a arte é o ter ficado! Agora a literatura é significar status sociais! Agora a crítica é haver bestas com inteligências artificiais que não se vejam como bestas! Agora a religião é o catolicismo militante dos taberneiros da fé, angariadores de anúncios para Deus! Agora é a guerra! É o jogo de empurra do lado de cá, empurra do lado de lá! A política e a degeneração gordurosa da organização da incompetência!

Sufoco de ter só isso a minha volta! Deixem-me respirar! Abram todas as janelas, abram mais janelas do que todas as janelas que há no mundo. Nenhuma idéia grande, nenhuma corrente política que soe a uma idéia grão época vil dos secundários, dos aproximados, dos lacaios com aspirações a reis lacaios! Sim! Todos vos que representais o mundo, todos vos que sois políticos em evidência em todo mundo! Passai! Vos ambiciosos do luxo cotidiano, aristocratas de tangas de ouro. Passai! Vos que sois autores de correntes sociais, de correntes literárias, de correntes artísticas, verso da medalha da impotência de criar! Passai homens altos, passai frouxos, passai radicais do pouco. Passai!

O mundo quer grandes poetas, quer grandes estadistas, quer grandes generais. Quer o político que construa conscientemente os destinos inconscientes do seu povo. Quer poetas que buscam imortalidade ardentemente e não se importem com a fama! Quer o general que combata pelo triunfo construtivo, não pela vitória que apenas derrota os outros! O mundo quer a inteligência nova à sensibilidade nova.

O que aí está a apodrecer a vida, quando muito é estrume para o futuro, o que aí está não pode durar porque não é nada.

Eu da raça dos navegadores afirmo que não pode durar! Eu da raça dos descobridores desprezo o que seja menos que descobrir um novo mundo! Ergo-me ante o sol que desce e a sombra do meu desprezo anoitece em vos! Proclamo isso bem alto com os braços erguidos, fitando o Atlântico e saudando abstratamente, o infinito".

(Álvaro de Campos)

Fernando Pessoa

1917

publicado por eu-calipto às 22:58

link do post | comentar | favorito
|

pesquisar

 

Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Moção de "auto-censura" p...

Rei Ghob

Confirmação da injustiça ...

Os intocáveis

Roubados e ainda temos de...

Não sejam mal agradecidos...

Rir é o melhor remédio, s...

Miguelito Relvado - O Ban...

Carlos Alex. Quem é ele? ...

Aeroporto no Montijo - er...

Mário Soares - o bochecha...

Bom Ano Novo

Atentados. Pode haver ou ...

Prisão, prisão, presão, p...

Justiça inútil ou "injust...

Polémica - Nova investiga...

Antoniodominguesmania - o...

Pedro Dias, Pedro Dias, P...

A lata deste gajo é imbat...

Marques - Mentes

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

favorito

Venha o diabo e escolha.

links recomendados

Tempo

blogs SAPO