Domingo, 23 de Fevereiro de 2014

Portugal está melhor

É uma evidência revelada por imagens.

Portugal está muito melhor em 2014 do que estava em 2012.

Não se diz que uma imagem vale mais do que 1000 palavras?

Então discussões para quê?

Para alguns o país está melhor, muito melhor.

 

Infelizmente eu não posso confirmar esta realidade.

Talvez porque não visto avental nem engulo hóstias.

Também, esses preços eu nunca pagaria.

Depois de escrever este post ouvi na televisão:

"Portugal está melhor,

Os portugueses estão pior,

Marcelo está na mesma"

publicado por Eu mesmo às 18:59

link do post | comentar | favorito
Sábado, 15 de Fevereiro de 2014

Passos – versão cientista do amianto

Há amianto em edifícios públicos, com vários casos reportados de mortes. Uma estatística do Direção Geral de Saúde diz que se registam cerca de 40 óbitos por ano diretamente relacionados com o amianto em Portugal.

Neste caso não é tão importante empurrar para baixo de tapete as culpas porque isso não resolve nada. Lá veio de Passos Coelho a desculpa imbecil “Os Socialistas estiveram no governos e não resolveram o problema”.

Desde 2012 que em conversas circulava o receio de que haveria amianto no edifício que alberga a Direcção-Geral de Energia e Geologia, em Lisboa, onde trabalham cerca de 120 funcionários, e que seria essa a causa de muitos problemas de saúde dos trabalhadores, incluindo 19 casos de cancro.

Passos Coelho minimizou a situação da DGEG. "De acordo com a avaliação que foi feita, o grau de perigosidade é relativamente baixo para não dizer negligenciável", disse no debate quinzenal no Parlamento, sublinhando que na maior parte das situações o amianto "não comporta um risco significativo para os trabalhadores".

http://www.publico.pt/politica/noticia/amianto-passos-coelho-diz-que-grau-de-perigosidade-e-relativimanente-baixo-1623697

Claro que para Passos Coelho morrerem 40 pessoas por ano, ficando muitos mais com doenças prolongadas não é nada de grave.

Parece que morrerem 19 funcionários públicos até é um bom serviço para o governo, a favor da sustentabilidade da segurança social – portanto é bom. Se morressem 500 mil até seria melhor.

Mas,

Passos contrata empresa por 25 mil euros para atender telefones em São Bento

Passos Coelho contratou uma empresa, em regime de outsourcing, para assegurar o atendimento telefónico na residência oficial do primeiro-ministro por 25,1 mil euros. Isto apesar de ter no seu gabinete dez secretárias pessoais, nove auxiliares, e 12 pessoas a prestar apoio técnico-administrativo em São Bento.

O contrato, assinado no dia 6 de Dezembro com a empresa We Promote - Outsourcing e Serviços, Lda. mas só publicado no dia 5 de Fevereiro no portal Base dos contratos públicos, inclui "designadamente as funções de atendimento telefónico, gestão, registo e encaminhamento de chamadas".

O gabinete do primeiro-ministro fundamenta a necessidade deste ajuste directo com "a ausência de recursos próprios".

O prazo do contrato é de um ano mas pode ser renovado por idêntico período "mediante aviso prévio por parte do gabinete de Passos Coelho.

Este já é o terceiro contrato celebrado pelo gabinete do primeiro-ministro com a empresa. O primeiro foi assinado no dia 4 de Fevereiro de 2012 por 10,4 mil euros e tinha um prazo de nove meses. O segundo foi celebrado a 15 de Janeiro de 2013 mas já por um prazo de 11 meses e 15 dias e por 12,5 mil euros. A justificação para adjudicar directamente com esta empresa foi sempre a mesma: "ausência de recursos próprios".

O jornal I questionou o gabinete do primeiro-ministro sobre as razões que levaram a a contratar esta empresa, tendo em conta que o próprio gabinete já tem um número considerável de secretárias/assistentes mas até à hora de fecho desta edição não obteve qualquer resposta.

http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/passos-contrata-empresa-25-mil-euros-atender-telefones-sao-bento/pag/-1

publicado por Eu mesmo às 18:58

link do post | comentar | favorito
Sábado, 1 de Fevereiro de 2014

Praxes e duxes - uma porca trapalhada

As perguntas e as respostas:

Vamos por partes.

Morreram 6 jovens na praia do Meco ou não? - sim

Houve um sobrevivente que assistiu a tudo? - sim

O sobrevivente fala com detalhe de tudo o que aconteceu? - não 

Os outros estudantes da mesma universidade dão explicações esclarecedoras sobre as práticas das praxes? - não 

É normal 7 jovens irem para uma praia à 1h da madrugada num dia de chuva e forte temporal no mar, sentarem-se na areia na zona de rebentação (versão do sobrevivente e dos outros estudantes que dizem que não assistiram a nada) ? - não 

 Agora as duas possibilidades principais 

1 - Foi um acidente

Porque razão num acidente só sobreviveu o chefe do grupo?

Porque razão o sobrevivente, chefe do grupo, parece ter muita dificuldade em dar explicações claras e credíveis?

Porque razão o sobrevivente não se junta solidariamente às famílias das vítimas?

Se os colegas se sentaram na praia em zone perigosa, porque razão o sobrevivente não os avisou do perigo ou não os impediu de o fazerem?

2 - Foi um crime por negligência 

O sobrevivente teria obrigado as vítimas a correr riscos desnecessários, portanto seria de certo modo responsável pelo que aconteceu.

Como pode o sobrevivente ficar com a consciência descansada o resto da vida, mesmo que a justiça e a verdade nunca venham a revelar-se?

Sendo o sobrevivente o culpado, não seria melhor para a sua consciência admitir as suas responsabilidades e assumir todas as consequências, incluindo o ser preso ou ter de pagar um indemnização aos pais das vítimas? Pelo menos era mais honesto e melhor compreendido. Um momento de estupidez pode acontecer a qualquer um, mas terá de aceitar as consequências do seu erro.

Conclusão

Se o sobrevivente estiver 100% inocente na culpa da morte dos colegas era melhor para ele falar abertamente com os pais das vítimas e contribuir para a paz interior dele próprio e dos familiares dos outros.

Se for culpado não seria também melhor ao esclarecer toda a verdade e assim contribuir para evitar brincadeiras perigosas e assassinas no futuro?

 

Um cão é um cão, mas evita certas "praxes".

Outros comentários

Seriam todos mais honestos se admitissem que tinham feito uma praxe para além do razoável e que as coisas tinham corrido mal. Claro que não tinha sido de propósito, tal como acontece com aquelas pessoas que são colhidas nas passagens de nível pelos comboios a alta velocidade. Acontece que aos homens adultos cabem responsabilidades de evitar certos perigos para si próprios e sobretudo para terceiros. É por isso e não por outros motivos que há multas e penalizações para quem conduz um automóvel a 200 km por hora, a quem dispara uma caçadeira sobre alguém da família quando está a fazer a limpeza depois da caçada.

O que escreveu Daniel Oliveira (para quem não leu no Expresso)

"Naqueles rituais violentos e humilhantes, [os caloiros] conhecem pessoas e sentem-se integrados num grupo. Eles são, naquele momento, rebaixados da mesma forma. Não há discriminações. São todos "paneleiros", "putas", "vermes". Na sua passividade e obediência, não se distinguem. Até, quando deixarem de ser caloiros, terem direito à mesma "dignidade" de que gozam os que bondosamente os maltrataram. Aceitam. Porque, como escrevia Jean-Paul Sartre, "é sempre fácil obedecer quando se sonha comandar". Sim, a praxe integra. A questão é saber em que é que ela integra. Porque a integração não é obrigatoriamente positiva. Se ela nivela todos por baixo deve ser evitada a todo o custo. Perante o que é degradante os espíritos críticos distinguem-se e resistem. Não se querem integrar. (...) A praxe é a iniciação de uma longa carreira de cobardia. Na escola, perante as verdades indiscutíveis dos "mestres". Na rua, perante o poder político. Na empresa, perante o patrão. A praxe não é apenas a praxe. É o processo de iniciação na indignidade quotidiana."

publicado por Eu mesmo às 18:43

link do post | comentar | favorito

pesquisar

 

Agosto 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
18
19
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

posts recentes

Salário dos motoristas de...

Querem lá ver que quem co...

Pedro Pardal Henriques & ...

Greve dos camionistas de ...

O homenzinho que nunca se...

Enfermeiros cirúrgicos – ...

Vira o disco e toca a mes...

Actual Comunicação Social...

Os sabe-tudo ...

Só o Armando Vara e o Sóc...

Confirma-se previsão de "...

CM - Correio Manhoso_ 5No...

Deus nos livre ...

Fogos florestais - comuni...

Fogos - Opinião de outros...

Gente séria é outra coisa

Justiça a reboque da comu...

República dos juizes

Moção de "auto-censura" p...

Rei Ghob

arquivos

Agosto 2019

Abril 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Novembro 2018

Outubro 2018

Agosto 2018

Maio 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

links recomendados

Tempo

blogs SAPO