Domingo, 17 de Junho de 2012

Energia renovável

A EDP, em parceria com a InovCapital e a Principle Power, concluiram a instalação da primeira eólica offshore (em alto mar) em Portugal, anunciou hoje a empresa em comunicado. A torre foi montada ao largo da Aguçadoura, junto à Póvoa do Varzim.

De acordo com EDP este é um projecto pioneiro em vários aspectos. É o primeiro de energia eólica offshore a nível mundial "que não exigiu a utilização de qualquer equipamento de carga pesada no alto mar". Isto porque todo o processo de montagem e preparação da entrada em funcionamento decorreu em terra firme, num ambiente controlado, neste caso nos estaleiros da Lisnave em Setúbal.

E depois é também a primeira turbina eólica em águas abertas no Atlântico e ainda "a primeira colocação offshore de uma estrutura semi submersível que sustenta uma turbina eólica multi-megawatts", repara a EDP em comunicado.

http://www.portosdeportugal.pt/sartigo/index.php?x=6400

E a cereja em cima do bolo:

O homenzinho que não foi inaugurar o museu de José Saramago nem homenageou Salgueiro Maia, sentou-se logo no cavalo preparado por Sócrates!

Oportunismo? Não, que ideia. É uma pessoa muito generosa :-/ Era lá capaz de fazer isso.

Continuando 

O projeto custou 23 000 000 Euros.

Os pessimistas e derrotistas dirão: – Um desperdício de dinheiro. Era melhor dar 15 300 Euros a cada família e ela ficava bem mais feliz do que ter energia elétrica renovável. Muitos peixes vão morrer porque chocam com a torre ao nadar de noite.

Os otimistas dirão: - Bom são 23 milhões de Euros, mas se produzir energia para 1500 famílias durante 20 anos, custa cerca de 2 Euros por dia a cada uma, o que não deixa de ser interessante, pois evitam-se exportações. Além do mais, podemos aprender e melhorar a tecnologia e vender mais torres destas a outros países, ficando com os lucros e distribuindo valor pelos trabalhadores de muitas empresas portuguesas.

Cada um opte pelo lado que lhe for mais simpático.

publicado por eu-calipto às 15:01

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

Energia nuclear? Não, obrigado!

Mira Amaral, que  é um dos subscritores do documento das personalidades contra política energética assente nas renováveis, falou dia 7 de Abril na televisão, manifestando-se totalmente contra a energia eólica, por: "só haver vento à noite"; "porque faz barulho"; por "prejudicar a paisagem"; por "ser muito cara a instalação; e por "os equipamentos serem fabricados no estrangeiro".

Afinal, Mira queria, em 2005, um parque no mar para ele e seus clientes e/ou amigos.

O custo de instalação no mar é muito superior, o vento é mais forte e constante mas também falha quando menos se espera, a paisagem não é a mais bonita, e estes geradores também são feitos no estrangeiro.

Onde está a coerência de Mira Amaral? Se ele ganhasse os cobres a energia eólica já era boa?

Fontes e mais detalhes em:

http://economia.publico.pt/Noticia/lider-do-manifesto-contra-as-renovaveis-propos-parque-eolico-offshore-ao-governo_1431116

e,

http://economia.publico.pt/Noticia/personalidades-contra-politica-energetica-assente-nas-renovaveis-apresentam-hoje-manifesto_1431133

Ir à página da REN e procurar os menus: Real time; Operating statements; Power demand National, poderão depois escolher os dias e saber o que se passou a nível de procura e fornecimento de energia.

Exemplos:

O consumo de electricidade tem algum grau de previsibilidade, dependendo muito da época do ano e das condições diárias do clima. Muito imprevisível é a produção de electricidade a parir de energias renováveis, tais como o vento e o Sol. Como diz a canção brasileira de Chico Buarque - Meu caro Amigo, "...Uns dias chove, noutros dias bate SOL...".

 

A energia total é produzida a partir de várias fontes. A energia não pode ser armazenada (ou só muito dificilmente em bombagem de água de retorno às barragens), portanto, a produção tem de ser igual ao consumo em cada instante.

 

 

A energia eólica tem uma matéria-prima sem custos - o vento. O custo da electricidade depende apenas dos investimentos e da inteligência na negociação dos contratos.

Uns dias há vento e noutros não há, tal como a incerteza nas horas. No entanto, as médias totais de um mês ou de um ano para o outro são praticamente iguais. Vento há sempre, não se sabe é quando e quanto num determinado instante.

Olhando para a produção eólica diária fica-se com a ideia que em geral o vento é maior à noite a atinge um mínimo por volta do final da tarde.

O tal grupo de inteligentes quer discutir todas as formas de energia, incluindo o nuclear. Mas discutir o que já se sabe? O nuclear só pode trabalhar a regime quase constante, uma central nuclear demora 10 anos a construir, Portugal não tem a menor competência no assunto, os combustíveis têm de ser enriquecidos no estrangeiro e além de tudo o mais, quem aceitaria ter uma central a menos de 50 quilómetros de casa?  Onde é que há um lugar junto ao litoral, com disponibilidade de muita água e longe de pessoas? – Só em sonho!

 

Conclusões (se assim se pode chamar)

De momento não é grande a falte de electricidade. Há até excesso de capacidade de produção. O problema é o seu custo, por via das matérias-primas importadas, gás, carvão e fuel e no caso da energia eólica, dos contratos mal negociados pelos governos.

A energia nuclear não apresenta a flexibilidade de produção, o que é  absolutamente essencial à complementaridade com as energias renováveis limpas (eólica, solar, hídrica) que apresentam problemas de irregularidade e incerteza pontual.

publicado por eu-calipto às 00:31

link do post | comentar | favorito

pesquisar

 

Agosto 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

Energia renovável

Energia nuclear? Não, obr...

arquivos

Agosto 2018

Maio 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Maio 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Setembro 2008

Agosto 2008

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

favorito

Venha o diabo e escolha.

links recomendados

Tempo

blogs SAPO